Ideias que não tenho aonde publicar + servidor de imagem que é liberado na sua empresa = Ritalinando.

Homofobia: A que ponto chegamos!!



Hoje pela manhã sou surpreendida pela seguinte notícia:

“Pai e filho são confundidos com casal gay e agredidos por grupo”

Fontnte: http://eptv.globo.com/noticias/NOT,3,31,359163,Pai+e+filho+sao+confundidos+com+casal+gay+e+agredidos+por+grupo+em+Sao+Joao+da+Boa+Vista.aspx

Segundo a Wikipédia (enciclópédia livre, editada por internautas) Preconceito é definido da seguinte maneira: Preconceito (prefixo pré- e conceito) é um “juízo” preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude “discriminatória” perante pessoas, lugares ou tradições considerados diferentes ou “estranhos”. Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém, ou de um grupo social, ao que lhe é diferente. As formas mais comuns de preconceito são: social, “racial” e “sexual”.

Informado o que é preconceito, vou contar rapidamente o que aconteceu com o Pai e o Filho que foram agredidos por um grupo durante uma festa no interior.

Pois bem, Pai e Filho estavam abraçados, dessa forma:

Pai e Filho estavam abraçados e por estarem abraçados um grupo de pessoas achou que aquele abraço era por demais afetuoso e sendo afetuoso significava homossexualidade. Ou seja, dois homens abraçados é sinônimo de “viadagem”.

A ação de preconceito contra o carinho entre duas pessoas do mesmo sexo ocorreu em duas etapas, primeiramente os dois homens, aqui Pai e Filho, foram “advertidos” por alguns homens de que não era “legal” dois machos andarem “juntinhos”. Houve um princípio de tumulto, mas a turma do chega disso chegou e abafou uma possível “confusão”. É importante destacar que o Pai “avisou” que era Pai daquele outro ser humano o qual ele abraçava; e o filho também bradou “É meu Pai pô, sou Filho dele!”. Mesmo “avisados, advertidos e intimidados” Pai e Filho decidiram continuar abraços e na frente de todo mundo, desfilavam carinho e companheirismo. Ainda sim, Pai e Filho continuaram braçados. “Afronta!” resignaram-se as pessoas incomodadas. A desobediência ao comando e a obscenidade do amor entre dois seres humanos do mesmo sexo, fez com que aqueles que anteriormente advertiram e se incomodaram voltassem; e dessa fez aplicassem um “corretivo”. Para estes indivíduos que “aplicaram o corretivo” o fato de duas pessoas do mesmo sexo (DO MESMO SEXO!!) estarem abraçadas é altamente prejudicial a sociedade; ver duas pessoas do MESMO SEXO “juntinhas” é homossexualismo e isso é má influencia, coisa que Deus no abençoa.  Como Jair Bolsonaro, Miriam Rios e outros sábios protetores da Família ensinam, propagam e defendem, a Homossexualidade é algo que deve ser combatida porque vai contra qualquer princípio de moral, saúde e Família. Segundo Miriam Rios, uma babá homossexual pode transformar as filhas dela em homossexuais também. De acordo com Bolsonaro, um garotinho “ver” dois homens “abraçadinhos” e trocando carinho é o suficiente para plantar uma semente Gay no garoto e no futuro este garoto se transformara em… Homossexual!!

Pois bem, dito tudo isso, os rapazes que aplicaram o corretivo naqueles dois homens  que caminhavam abraçados publicamente, espancaram com socos e ponta pés ambos, para finalizar o corretivo o mais valente do grupo de agressores avançou sobre o homem mais velho e com uma mordida decepou a orelha do mesmo. 

É muito fácil “entender” esta agressão: um grupo de pessoas preocupadas com a preservação da moral e bons costumes tentou impedir a propagação da homossexualidade. Num primeiro momento mandaram parar. Quando esta ordem não foi cumprida estas pessoas sentiram-se no direito de aplicar a “ordem” à força. Desferiram muros e chutes. Para finalizar, o sujeito mais preocupado com a preservação da Família teve um ato de lição final. Mordeu e arrancou a orelhado da pessoa mais velha, aquela que talvez fosse culpada pela homossexualidade do mais jovem. 

Mas estas pessoas que defendiam a Família agrediram e espancaram a Família.

Na verdade, as pessoas agrediram, espancaram e deceparam o Respeito, o Afeto, o Carinho, o Companherismo. O preconceito fez com que eles matassem o Amor e ferissem a Família.

O Brasil chegou no ápice do PRECONCEITO contra o amor entre pessoas do mesmo sexo. Já nem importa mais se são Homo ou Heterossexuais.

Hoje em dia os heterossexuais que não aprovam o afeto público entre pessoas do mesmo sexo buscam o direito de combater.  Para eles, o amor e o carinho entre dois homens é prejudicial a Família, mas a agressão, a discriminação e a exclusão dos mesmos não são!

Este direito heterossexual de combater a homossexualidade agrediu a Família. Pai e Filho espancados por espíritos insanos. 

Abaixo imagens de afeto, amor e carinho entre pessoas do mesmo sexo:




Ao lado, pessoas se abraçam e demonstram afeto público são Pais e Filhos, mas se você não soubesse, se sentiria no direito de discriminar, mal dizer e agredir?

Pense Nisso!

Advertisements

6 responses

  1. Cadu

    Preconceito é ignorância… violência é ignorância também. Da forma como foi, é também covarde.
    Eu não entendo esse ódio do “diferente”, é ridículo! Por causa de uma ignorância dessas, pai e filho que nada tem a ver com a história acaba sofrendo as consequências! E mesmo que fosse um casal homossexual, nada que disserem vai justificar o que fizeram e fazem por aí, é deprimente. Também fiquei um tanto quanto incomodado com a notícia. Difícil prever onde esse mundo vai parar desse jeito…

    July 19, 2011 at 12:22 pm

    • “O amor quando não expressado da forma ‘normal’ é errado. É melhor ser corrupto do que ser viado.”

      July 19, 2011 at 12:31 pm

  2. O que eu não entendo é de onde esses caras tiraram que tem o direito, único e universal de agredir outro ser humano simplesmente por ser diferente. Não. Sério. De verdade. De onde veio isso? Quem começou? … E não sejam hipócritas e venham dizer que isso é um absurdo se você sempre xinga os outros de ‘veado’, mesmo que de brincadeira. Mesmo que sejam seus amigos, mesmo que “não tenha preconceito”. Essa é a origem de tudo. É muito comum vermos crianças de 5 ou 6 anos que mal aprenderam a falar, xingando o amiguinho que não o emprestou a bicicleta de ‘veado’. E ninguém pára para pensar que é por isso que acontecem essas coisas. O problema não é chamar de ‘veado’ e sim, ensinar desde o início que ser ‘veado’ é a pior coisa do mundo.

    Pense bem, qual outro xingamento realmente te ofende?
    Bandido? Corno? Burro? Feio? Gordo? Não… a única coisa que você não quer ser é VEADO!
    O resto… ninguém liga.

    Aff.

    July 19, 2011 at 1:47 pm

  3. Como vamos salvar um planeta se não somos capazes de respeitar uma simples demonstração de afeto publica! todos sabem que nas paradas gays esse mesmo tipo de malfeitores vão até lá para se divertir mas dentro do seu nicho de amigos, quer impor os direitos morais, decidir o que é ou não correto dentro dos principios naturais! Fico muito triste ao ler esse tipo de noticia, o mundo caminha lentamente para o seu fim!

    July 19, 2011 at 2:45 pm

  4. O problema é que hoje em dia as pessoas se ofendem demais com qualquer coisa, e neste caso o que é mais ridículo, se ofendem com o comportamento do próximo mesmo que não tenham nada a ver com ele. Se cuidassem mais da suas próprias vidas e parassem de se incomodar com comportamentos, termos e afins não tava essa zona toda.

    July 19, 2011 at 3:01 pm

  5. Triste… Esse povo que agrediu tinha que ser trancafiado atrás das grades e ter a chave jogada fora. O pior é que do jeito que é nossa “justiça” nem vai acontecer muito com eles.

    July 19, 2011 at 3:50 pm

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s